Quem foi Atalanta na mitologia grega?


Não tão conhecida – e muitas vezes esquecida – quanto os outros heróis gregos, Atalanta, na mitologia grega, era uma caçadora renomada e veloz – tão rápida que podia competir com o deus Hermes, o mensageiro alado! Ela participou da caça ao javali calidônio, enviado pela deusa Ártemis para devastar a terra, e navegou com Jasão, sendo a única mulher do Argo!

Mas, provavelmente, ela é mais conhecida por ter lançado um desafio aos homens que queriam se casar com ela: ela só se casaria com aquele que a vencesse numa corrida! Continue a leitura e confira todos os detalhes da mitologia de Atalanta.

Você também pode gostar de ler:

➡️ Os 10 maiores heróis gregos

➡️ As moedas da deusa Ártemis

➡️ Zenóbia, a rainha de Palmira

A mitologia d eAtalanta, a heroína grega esquecida.

Atalanta na Mitologia

Assim como muitos heróis mitológicos, a história de Atalanta teve um início assombroso. Seu pai queria filhos homens e, quando Atalanta nasceu, seu pai ordenou que ela fosse deixada em cima de uma montanha para morrer!

Atalanta foi abandonada perto de uma caverna e nas profundezas de uma floresta. Ela foi encontrada e amamentada por uma ursa. Em muitas interpretações, a ursa foi vista como uma bênção de Ártemis para Atalanta!

Na religião da Grécia Antiga, Ártemis era a deusa olímpica da caça, dos animais selvagens e da castidade. Assim, a deusa logo se tornou o ídolo de Atalanta. Seguindo o exemplo de Ártemis, Atalanta rejeitou a companhia dos homens e aprimorou sua habilidade com o arco e flecha, tornando-se uma exímia caçadora!

Atalanta e a Caça em Calidão

Eneu, o rei de Calidão, se esqueceu de incluir a deusa Ártemis nos sacrifícios anuais. Isso provocou a ira da deusa da caça, que enviou um javali de força e tamanho extraordinários para destruir a terra de Calidão em vingança!

Sarcófago que retratada a mitologia da caça ao javali calidônio.
Sarcófago de mármore romano de Vicovaro, esculpido com a Caçada da Calidônia (Palazzo dei Conservatori, Roma).

Então o rei Eneu convocou os homens mais nobres da Grécia para ajudar a caçar o javali gigante que estava aterrorizando Calidão. Entre estes estavam: Jasão, Teseu, Meleagro (filho de Eneu), Peleu (pai de Aquiles), entre outros. E Atalanta estava entre eles.

Pouco antes do início da caçada, alguns homens se recusaram a caçar ao lado de uma mulher e reclamaram da presença de Atalanta. Meleagro, que se encantou pela caçadora e queria impressioná-la, ficou zangado com a discriminação contra uma mulher e ordenou que aceitassem a presença da heroína.

No encontro com o Javali Calidônio, alguns homens foram imediatamente abatidos e mortos. No fogo cruzado, os homens estavam derrubando uns aos outros também.

Atalanta como distinta caçadora, atirou primeiro no javali pelas costas, dando a oportunidade de outro caçador acertá-lo no olho. Meleagro deu o golpe final, mas deu a pele e a cabeça do javali, o prêmio habitual, a Atalanta por extrair o “primeiro sangue”.

Pintura de Atalanta e Meleagro com a pele do javali calidônio.
Atalanta e Meleagro por Peter Paul Rubens, c. 1616.

A ira de Meleagro

Os tios de Meleagro, que também participaram da caça, ficaram zangados porque uma mulher recebeu o prêmio e a honra em vez de qualquer um dos homens. Eles roubaram os prêmios de Atalanta, o que foi um insulto à sua honra. Furioso novamente com os maus tratos a Atalanta, Meleagro matou seus tios em um acesso de raiva e devolveu a pele à heroína!

Entretanto, sua mãe, em luto pelo assassinato de seus irmãos, magicamente anexou a força vital de Meleagro a um galho e, em seguida, o incendiou. Enquanto a madeira morria, o mesmo acontecia com Meleagro!

Aventuras de Atalanta com os Argonautas

Depois disso, Atalanta viajou muito com outros heróis. Uma das histórias de sua mitologia é que ela embarcou no navio Argo, fazendo parte da expedição histórica!

Aterrissando no convés, ela invocou a proteção de Ártemis. Ártemis representava mulheres celibatárias, então nenhum dos homens poderia perseguir o afeto de Atalanta sem seu consentimento se eles não desejassem enfrentar a ira da deusa!

Casar ou não casar?

Logo chegou o momento em que o pai de Atalanta a reconheceu e a trouxe de volta para sua casa. Ele desejava que ela se casasse, mas Atalanta se opôs a isso. Uma vez um oráculo a avisou que se ela se casasse, isso traria sua desgraça. Assustada com a profecia, Atalanta jurou nunca se casar.

Para garantir que nunca teria que se casar, já que seu pai a pressionava muito, ela elaborou um plano. Atalanta impôs suas próprias condições: quem quer que fosse seu marido devia competir com ela em uma corrida a pé e vencer.

Hemidracma grego que traz a heroína Atalanta.
Hemidracma datado de 220-215 a.C. Cabeça de Atalanta à direita / javali de Calidão na baía à direita.

Como Atalanta era mais rápida a pé do que qualquer outra pessoa viva em sua época, ela tinha certeza de que nunca perderia uma corrida. Seus termos eram que, se ela vencesse o pretendente, ele seria condenado à morte. A intenção era de que isso afastasse candidatos. No entanto, se o pretendente a vencesse na corrida, ela se casaria com o vencedor.

Muitos homens ficaram entusiasmados com o desafio, porém cada um foi vencido por ela e morto. Certo dia, um jovem príncipe, Hipomene, ouviu falar do desafio e das muitas fatalidades e se perguntou: “Por que procurar uma esposa em tal risco?”. Entretanto, ao conhecê-la, ele logo se apaixonou por ela e entrou na competição!

Hipomene compete por Atalanta

Quando Atalanta encontrou Hipomene, seu olhar, outrora conhecido ser penetrante e duro, suavizou-se. Ela se sentiu atraída por Hipomene e ficou chateada porque ele morreria.

Hipomene, desesperado para vencer a corrida e se casar com Atalanta, orou à deusa Afrodite por ajuda. A deusa então deu a ele três maçãs de ouro do jardim das Hespérides. Ela disse a Hipomene que essas maçãs estavam encantadas para que Atalanta não resistisse a pegá-las.

Quando a corrida começou, Hipomene jogou uma maçã dourada e a beleza da maçã era tão irresistível que Atalanta não pôde deixar de parar para pegá-la. Cada vez que Atalanta parava para pegar uma maçã, Hipomene disparava à frente.

Pintura da mitologia de Atalanta e Hipomene.
Atalanta e Hipomene, por Guido Reni, c. 1622–25.

A última maçã ele desviou do curso da pista. Atalanta hesitou, mas o poder de Afrodite era muito grande. E desta vez, a última maçã foi encantada para ficar muito pesada, custando ainda mais tempo à Atalanta. Hipomene ultrapassou a linha de chegada e Atalanta tornou-se sua noiva!

Atalanta e Hipomene amaldiçoados

Em êxtase por seu casamento com Atalanta, Hipomene se esqueceu de agradecer Afrodite por sua ajuda. A deusa do amor ficou furiosa e em retaliação, ela estimulou uma paixão incontrolável em Hipomene e Atalanta.

Eles começaram a fazer amor em um templo próximo. Dependendo da versão, o templo era de Zeus ou de Cibele. Mas independentemente, o deus ou deusa ficou muito ofendido e então transformou o casal em leões!

Moeda grega antiga de Atalanta.
Moeda grega de cerca de 279-168 a.C. Atalanta à direita, usando colar / ponta de lança à esquerda.

A Jafet Numismática é uma Loja Online de moedas antigas. Aqui você encontra peças autênticas de diferentes civilizações. Todas as moedas possuem certificado de autenticidade (sem custo adicional!) e frete grátis para todo o Brasil!

Quero conhecer as moedas da época


O QUE VOCÊ ACHOU DESSE ARTIGO?

Deixe o seu comentário, dúvida ou sugestão! Assim a gente melhora ainda mais o nosso conteúdo. Afinal, o conhecimento se faz em conjunto 😀
Obs.: o seu e-mail não será divulgado.

5 × 5 =

« voltar topo ↑