Solidus: uma moeda de ouro estável


Também conhecido por sólido ou soldo, o solidus foi uma moeda de ouro dos antigos impérios romano e bizantino. Começou a ser cunhado pelo imperador Constantino por volta de 310 d.C., substituindo outra moeda romana de ouro, o áureo.

Entretanto, foi durante o império bizantino que teve toda a sua glória. O solidus era o símbolo do poder imperial em Bizâncio. Popular e aceito em todos os lugares do mundo então conhecido, foi admirado e copiado por muitos reis em muitos reinos!

Por mais de 700 anos cunhado no mesmo peso e espessura, o solidus era a principal moeda comercial da Europa em toda a Ásia, quase que podendo ser reconhecido como o “dólar” da Idade Média!

Você também pode gostar de ler:

➡️ Imperador Constantino e suas moedas

➡️ As moedas do Império bizantino

➡️ Quem são os filhos de Zeus?

Solidus: uma moeda de ouro estável

Moedas de ouro romana

As moedas de ouro foram cunhadas de forma irregular durante a maior parte do período da República Romana (509-27 a.C.). A cunhagem regular de peças em ouro, chamadas áureos, começou após a conquista da Gália por Júlio César (52 a.C.), que garantiu a disponibilidade de ouro proveniente de minas gálicas.

O áureo se tornou então uma unidade monetária básica romana. Desse modo, foi cunhado durante muitos e muitos anos, até que sua produção começou entrar em declínio após o governo do imperador Marco Aurélio (161-180 d.C.).

Entretanto, mesmo em decadência, os áureos continuaram a ser cunhados com regularidade até o início do século IV d.C., quando foram substituídos pelos soldos.

Áureo de ouro de Júlio César.
Áureo de ouro de Júlio César, datado de 46 a.C. Anverso: Retrato da deusa Vesta voltado para a direita. Reverso: Emblemas do Pontificado.

➡️ Veja mais moedas de Júlio César – Loja Online

O solidus pesava menos do que o áureo (quase um grama) e entrou como uma boa alternativa de substituição. Afinal, o áureo era um investimento caro, como a maioria das moedas de ouro dos tempos antigos.

Setenta e dois sólidos podiam ser cunhados a partir de uma libra romana (326,6 g). Contudo, o sucesso dessa moeda não se deu só em razão de seu peso, mas devido a sua espessura e peso constantes.

A criação do solidus por Constantino

Após a ruptura econômica causada pela crise inflacionária do século III d.C., o imperador Constantino decidiu reformar o sistema monetário para restaurar a estabilidade. Em 310 d.C., ele começou a emitir uma nova moeda de ouro chamada solidus, cujo nome, derivado do latim para sólido, refletia o desejo do imperador de estabilizar a moeda.

Solidus de ouro do imperador Constantino, o criador dessa nova cunhagem.
Sólido de Constantino I cunhado c. 315 d.C. Anverso: imperador com capacete e busto com couraça à direita. Reverso: duas deusas Vitórias colocando escudo no altar.

Leia depois: ➡️ As moedas da Era de Constantino, o Grande
(E-book grátis)

Em 312 d.C., o peso do solidus foi fixado em 4,55g. Esse peso permaneceu inalterado em todo o período de sua cunhagem. Isso é, até o século X, já que essa moeda de ouro continuou a ser usada em todo o Império Bizantino!

No ano de 324 d.C., Constantino, o Grande, tornou-se o único governante do império. Depois disso, ele transformou o soldo na moeda de ouro padrão do Império Romano. Essa peça então substituiu o áureo, se tornando a principal referência para pagamentos importantes! Inclusive, a palavra soldado é derivada de solidus, referindo-se à moeda com a qual os soldados eram pagos.

Constantino garantiu que houvesse um suprimento de ouro suficiente para emitir o solidus por meio da apreensão do butim de guerra de seu inimigo Licínio, o confisco do ouro dos templos pagãos e a aplicação de novos impostos que eram pagos em ouro. O sólido foi a pedra angular do novo sistema monetário romano ao longo dos séculos IV e V.

Sólido romano do imperador Juliano, o apóstata.
Sólido do imperador Juliano II, o apóstata, último imperador pagão do mundo romano, datado de 360-363 d.C. No anverso apresenta o imperador com diadema e busto drapeado. Traz no reverso soldado em pé segurando um troféu e colocando a mão na cabeça de um prisioneiro ajoelhado.

Solidus Bizantino

O império Bizantino durou mais de 1000 anos e o solidus tornou-se um dos seus ícones de poder econômico imperial. O sólido logo foi aceito em todo o mundo conhecido. Muitos impérios decidiram copiar esta moeda em vez de criar a sua própria devido à sua grande reputação. Não havia moeda na época que pudesse se comparar ao soldo, era uma invenção magnífica!

Por ter sido cunhado por mais de 700 anos com o mesmo peso e espessura, o sólido tornou-se a principal moeda comercial usada na Europa, no Mediterrâneo, em partes da Ásia e, em certos períodos, no mundo árabe. Seu impacto e utilidade podem ser comparados com o dólar ou euro contemporâneo!

A evolução iconográfica do sólido bizantino

A cunhagem de Bizâncio foi um elemento essencial desta civilização única, que preservou o direito romano e as estruturas do Estado e herdou não apenas a tradição cultural helenística, mas também uma poderosa força organizadora – o cristianismo.

No início, o bizantino seguiu pela tradição iconográfica do final do período romano, que tomou forma gradualmente sob Constantino I (306-337). Na ascensão do imperador Anastácio I (491-518), havia três denominações de moedas de ouro: o solidus (em grego, nomisma) e suas frações, o semissis (metade) e tremissis (terceiro).

O anverso típico do solidus bizantino no final do século V e no início do VI era um busto frontal de três quartos do imperador, geralmente em armadura e segurando uma lança. O tipo reverso representava a deusa Vitória em perfil apoiando uma cruz.

Solidus de ouro que traz a deusa Vitória segurando cruz no reverso.
Anverso: Anastasius com capacete, diadema e armadura, segurando uma lança com a mão direita. Reverso: Vitória em pé segurando uma longa cruz com a mão direita. Moeda datada de 491-507 d.C.

➡️ Conheça outras moedas bizantinas – Loja Online

No entanto, o governante bizantino, Justino I (518–527), modificou a imagem do anverso para um busto frontal de rosto inteiro, e a imagem da deusa pagã da Vitória no reverso foi substituída por um anjo de frente. E até o reinado de Constantino VI (776-797), as moedas continuaram a apresentar texto em latim, sendo finalmente substituídas pela escrita grega nos primeiros anos do século IX.

Soldo bizantino do imperador Justiniano I.
Sólido do imperador bizantino Justiniano I, sucessor de Justino I, cunhado entre 527-565. Traz o busto frontal do imperador no anverso e o anjo em pé segurando uma longa cruz.

Por volta do ano 960, após o império bizantino passar a emitir um solidus de ouro com ¾ do peso, chamado de Tetartero, o solidus inteiro passou a ser chamado de histameno.

Histameno do imperador bizantino Constantino VIII.
Histameno de Constantino VIII, datado de 1025-1028. Anverso: face de Jesus Cristo. Reverso: busto coroado do imperador.

➡️ Confira mais representações de Jesus Cristo nas moedas – Blog

O solidus começou a ser desvalorizado no século XI. O teor de ouro declinou dramaticamente entre 1070 e 1080. Em 1092, Aleixo I realizou uma reforma monetária e substituiu as moedas de ouro desvalorizadas, histameno e tetartero, por uma nova cunhagem de ouro principal e de alta qualidade: o hipérpiro.

Você já conhecia essas moedas de ouro? Aqui na Jafet Numismática você encontra solidus e outras moedas romanas e bizantinas para sua coleção! Todas as peças possuem certificado de autenticidade sem custo adicional e frete grátis para todo o Brasil!

➡️ Quero conferir as moedas disponíveis


Confira nossas moedas disponíveis

O QUE VOCÊ ACHOU DESSE ARTIGO?

Deixe o seu comentário, dúvida ou sugestão! Assim a gente melhora ainda mais o nosso conteúdo. Afinal, o conhecimento se faz em conjunto 😀
Obs.: o seu e-mail não será divulgado.

5 × cinco =

« voltar topo ↑